Assistência Técnica do Senar auxilia produtor no planejamento forrageiro

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Assistência Técnica do Senar auxilia produtor no planejamento forrageiro


O produtor Carlos Augusto Couto Santos vive da produção de leite no povoado Campo Grande, no município de Itabi. Através do Programa de Assistência Técnica e Gerencial, Carlos Augusto melhorou o gerenciamento da sua propriedade e hoje tem uma melhor qualidade de vida.

Carlos Augusto conta que plantava um pouco de tudo na sua propriedade, mas não sabia administrar e sempre faltava alimento para o rebanho. “Eu tinha ração, mas não sabia como calcular e quando menos esperava já estava quase sem alimento. Tinha palma, fazia silagem, tinha de tudo um pouco e não sabia administrar e fazer os cálculos como faço hoje”.

O técnico de campo Adelson Santana afirma que o planejamento forrageiro é muito importante na propriedade. Segundo Adelson, durante visita ao produtor é necessário calcular quantos animais serão alimentados no período planejado, decidir a área para plantio, a espécie forrageira que será escolhida, a média de chuvas na região, tipos de solo e se existem outros recursos forrageiros.

“Depois de discutir esses pontos, podemos calcular e ter uma estimativa de quanto o produtor tem de reserva alimentar, quanto cada categoria alimentar irá consumir diariamente durante 12 a 24 meses. Se é necessário ou não aumentar a área de plantio ou até mesmo uma redução do plantel para adequação dos recursos forrageiros”, explica o técnico de campo.

Segundo o técnico Adelson, todas essas informações foram discutidas com o produtor Carlos Augusto que realizou o planejamento forrageiro pela primeira vez e hoje tem uma reserva alimentar para o ano inteiro.

“Ele achava que determinadas tarefas para silagem resolvia o problema dele, mas quando entrava o verão não tinha mais comida e recorria aos alimentos mais alternativos. Este ano, ele chegou a colher só de silagem mais de 60 toneladas. O que já é suficiente para passar o verão e ainda sobra alimento. A reserva alimentar dele está garantida”, afirma Adelson.

Bons resultados

Além do planejamento forrageiro, Carlos Augusto reduziu os custos da produção do leite. No início do programa, ele produzia o leite por R$ 1,25 e vendia por R$ 1,30 o litro. Com as orientações técnicas da assistência, o custo da produção reduziu e ele passou a produzir o leite por R$ 0,70.

Ainda segundo o técnico de campo Adelson Santana, além de melhorar os custos da produção o maior avanço foi na melhora da qualidade de vida do produtor Carlos Augusto e da sua família. “Seu Carlos já relatou diversas vezes que praticamente zerou as dívidas e que nunca tinha saído de um período seco sem dever. Depois do Senar, ele conseguiu pagar as dívidas e ganhar dinheiro no período seco”.

Agronordeste

A assistência técnica e gerencial no semiárido sergipano integra as ações do programa Agronordeste, um plano de ação criado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) desenvolvido em parceria com a CNA, Senar e a Agência de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater).

Fonte: CNA Brasil

Mais Notícias em Agronegócio

Curta O Rolo Notícias nas redes sociais:
Área de comentários
Compartilhe!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Mais recentes