Bovicorte comercializa mais de 1,4 milhões em cabeças de gado

Compartilhe

Bovicorte comercializa mais de 1,4 milhões em cabeças de gado


O IV Leilão de Gado de Corte ATeG (Bovicorte), realizado no último fim de semana no Parque de Exposições da Efapi, em Chapecó, ficou dentro das expectativas. Foram comercializados 107.513 quilos de animais vivos, o que rendeu um total de R$ R$1.435.940,00. O evento, realizado pelo Sindicato dos Produtores Rurais de Chapecó, com apoio do Sistema Faesc/Senar-SC e da Sicredi Região da Produção RS/SC/MG, contou com aproximadamente 500 animais das raças Charolês, Simental, Red Angus e Limousin. Entre as oportunidades de negócios o leilão ofertou animais para recria, engorda e reprodução da mais alta linhagem de participantes vindos do Estado inteiro.

Essa quarta edição marcou a volta do evento de forma presencial e foi carregada de expectativa que se concretizou. Segundo o presidente do Sindicato Rural de Chapecó, Caio Travi, a edição de 2021 realizada em meio a pandemia impediu a presença de público e restringiu o volume de animais. “Agora que começamos gradativamente a liberação, vai aumentar e fortalecer o evento. Desta quarta edição para a primeira, tivemos um aumento de 100% de participantes e de animais”, reforça Travi.

Além da presença de público, essa edição contou com uma rodada de duas palestras com profissionais do segmento: “Enquanto o veterinário não vem”, com o médico veterinário, Lênio Foresti e a segunda sobre Brucelose Bovina, com Claudia Moita.

O Bovicorte tem por objetivo promover o desenvolvimento da bovinocultura de corte na região e valorizar o desempenho produtivo da atividade. De acordo com Travi, foram comercializados R$ 123.840,00 em bois (R$ 11,66 o kg/vivo); R$ 169.040,00 em novilhas (R$ 13,13 o kg/vivo); R$ 412.680,00 em terneiras (R$ 13,48 o kg/vivo); R$ 698.340,00 em terneiros (R$ 14,07 o kg/vivo) e R$ 32.040,00 em vacas (R$ 8,46 o kg/vivo).

“A edição foi dentro do esperado. Nós vendemos 100% do que tínhamos de oferta. O que atrapalhou um pouco foi o tempo, pois teve gente que não conseguiu trazer os animais, mas tudo foi a contento”, destacou Travi.

O presidente do Sistema Faesc/Senar-SC, José Zeferino Pedrozo, destaca a satisfação pela parceria em um evento que se consolida cada vez mais na região. “Além de apoiar o leilão, atuamos nas propriedades rurais da região com o Programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG), o que nos traz muito orgulho. O resultado desse trabalho é visível na melhoria da produtividade do rebanho, na gestão dos negócios, entre outros aspectos, tanto que o programa é reconhecido como uma das estratégias fundamentais para fortalecer a cadeia produtiva do setor”, frisa.

O supervisor regional do Senar/SC, Helder Jorge Barbosa, também ressalta a importância dessa parceria. “A nossa ponte, o nosso contato com os produtores rurais, com tudo aquilo que a gente quer transmitir ou receber dos produtores é via sindicato rural. Nossa mensagem ao produtor rural é que ele precisa se manter atualizado, qualificado, que a atividade tem rentabilidade e que precisa buscar atualizações, seja na Bovicorte ou em seminários, além do leilão que tem um gado de qualidade maior, o que comprova que o trabalho feito com qualidade na propriedade usando técnica adequada produz um resultado positivo com um padrão melhor de animais para a comercialização”, salienta Barbosa. 

Fonte: CNA Brasil

Mais Notícias em Agronegócio

Curta O Rolo Notícias nas redes sociais:
Compartilhe!
Área de comentários

canal no youtube

Mais recentes