CNA esclarece dúvidas sobre renegociação de débitos rurais inscritos na Dívida Ativa da União

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

CNA esclarece dúvidas sobre renegociação de débitos rurais inscritos na Dívida Ativa da União


Brasília (03/11/2020) – A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) promoveu uma live, na terça (03), para esclarecer dúvidas sobre a renegociação de débitos rurais inscritos na Dívida Ativa da União (DAU) por meio da Portaria 21.561, da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN), publicada no dia 30 de setembro de 2020.

O encontro, moderado pela assessora técnica da CNA, Carolina Nakamura, e pela assessora jurídica da Confederação, Viviane Faulhaber, contou com a participação do procurador-geral adjunto de Gestão da Dívida Ativa da PGFN, Cristiano Neuenschwander, e do coordenador-geral de Estratégia de Recuperação de Crédito da PGFN, João Grognet.

Segundo Carolina Nakamura, a Portaria estabelece as condições para uma negociação de débitos originários de operações de crédito rural inscritos em DAU e que tiveram queda em seus rendimentos neste ano. “A CNA tem o compromisso de comunicar e esclarecer as medidas que possibilitem a renegociação de dívidas rurais”.

Cristiano Neuenschwander destacou que a Portaria apresenta uma forma de renegociação por adesão, com a possibilidade dos pagamentos serem mensais, semestrais ou anuais, além de alongamentos e descontos. Ele explicou como o produtor deve acessar o portal Regularize e buscar orientações.

“Essa é uma grande diferença que foi feita justamente para tentar atender a peculiaridade da atividade rural, da questão da safra e dessa dinâmica do campo que é diferente de uma dinâmica mais urbana”, disse.

O coordenador-geral de Estratégia de Recuperação de Crédito da PGFN fez uma apresentação sobre transação na cobrança da dívida ativa. João Grognet demonstrou as etapas para se cadastrar e quem pode aderir, além de modalidades disponíveis, declaração de receita/rendimento e quais informações devem ser prestadas.

“A nossa ideia é que o processo seja o mais simples possível. O importante é que chegue naquele que realmente precisa de um socorro para continuar gerando emprego, renda e produzindo, afinal de contas, o agronegócio é um dos maiores orgulhos do nosso País”, declarou.

Também foram apresentados os pontos de análise de situação econômica (capacidade de pagamento e analise de garantias) e a classificação do produtor, que pode ser de alta, média e difícil recuperação ou irrecuperável. O prazo de adesão às renegociações previstas na portaria é 29 de dezembro de 2020.

“É um diálogo novo e importante, que pode ser muito relevante para a saúde financeira e a regularidade fiscal dos produtores”, afirmou Viviane Faulhaber.

Assessoria de Comunicação CNA
Telefone: (61) 2109-1419
flickr.com/photos/canaldoprodutor
twitter.com/SistemaCNA
facebook.com/SistemaCNA
instagram.com/SistemaCNA
facebook.com/SENARBrasil

Fonte: CNA Brasil

Mais Notícias em Agronegócio

Curta O Rolo Notícias nas redes sociais:
Área de comentários
Compartilhe!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Mais recentes