Conheça as multifacetas de um produtor, instrutor e influencer digital

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram

Conheça as multifacetas de um produtor, instrutor e influencer digital


Foi durante um treinamento promovido pelo SENAR-PR a todos seus instrutores em abril do ano passado, no início da pandemia do novo coronavírus, que Joel Marcelo Nalon viu a ideia começar a surgir. “O professor falou da importância de procurar engajar os alunos de forma online, a partir das mídias digitais. Eu fiquei com aquilo na cabeça”, conta.

Além de instrutor do curso de drones, Nalon, 41 anos, casado e pai de uma filha de cinco anos, também é engenheiro agrônomo e produtor rural em Bituruna, Sudoeste do Paraná. Percebeu que muitas das práticas que ele adotava na propriedade da família poderia ajudar no dia a dia de outros agricultores e pecuaristas. Começou, então, a gravar vídeos didáticos, que viriam a dar origem ao canal “Agro na Prática”, no YouTube, que já contabiliza mais de 3,7 mil inscritos.

“Eu também trabalho com consultoria e terraplanagem. Tenho uma sala alugada no Sindicato Rural [de Bituruna]. Então, eu sempre respondia questionamentos dos produtores, tirava dúvidas. Eu comecei a gravar vídeos para responder algumas dessas perguntas e percebi que aquilo poderia servir para muitas pessoas. Comecei a enviar nos grupos de WhatsApp, mas aquilo acabava se perdendo. Aí, veio a ideia do canal no YouTube, para que o conteúdo ficasse centralizado num espaço e disponível para os produtores, de forma fácil de encontrar”, explica.

Inicialmente, colocar o canal no ar foi um desafio. O instrutor nunca teve dificuldades de falar em público e sempre se expressou bem, mas os aspectos técnicos de áudio e vídeo poderiam ser um complicador. O influencer, no entanto, logo pegou o jeito. Todas as gravações são feitas na propriedade da família – de 120 hectares, onde cultivam-se 35 de milho e soja, 10 de erva-mate, 15 de pinus e mantêm 15 vacas leiteiras e 40 bezerros de engorda. O próprio Nalon capta as imagens, utilizando um bastão de selfie. Posteriormente, Gabriel Lanzarini, filho de um amigo, edita e finaliza os vídeos.

Para formar público, o influencer passou a divulgar seu conteúdo em quatro grupos de WhatsApp que ele administra. “Fui fazendo o trabalho de formiguinha”, define. Nos vídeos, Nalon aborda vários aspectos práticos da vida dentro da porteira. Dá orientações de como fazer adubação de pastagem, mostra a semeadura e desenvolvimento da lavoura, discorre sobre a diferença entre plantas de cobertura, fala sobre pragas, entre diversos outros temas, sempre de forma didática, como se espera de um instrutor do SENAR-PR.

O trabalho vem dando resultados, que podem ser aferidos em acessos. Um vídeo sobre semeadura de azevem, por exemplo, já tem mais 12 mil visualizações. Outro, sobre cruzamento de vacas holandesas com angus e hereford, foi visto por 11 mil pessoas. O canal já tem mais de 70 vídeos.

“Não é um canal popularzão, desses que o cara faz uma brincadeira para ter milhões de visualizações. Meu canal tem preocupação exclusiva com conteúdo, com aquilo que interessa ao produtor. A cada mês, ganho novos inscritos. Estamos crescendo devagar, mas de forma constante e consistente”, diz Nalon. “Em todas as gravações, eu faço uma introdução e, antes de entrar a vinheta, eu falo: ‘Vamos pro vídeo!’. Virou um bordão. Na rua, quando as pessoas me veem, já repetem: ‘Vamos pro vídeo!’. Isso é muito legal”, conta.

Além de ensinar produtores e trabalhadores rurais, Nalon também é aluno: o influencer já concluiu mais de 30 cursos do SENAR-PR, como o Manejo Integrado de Pragas (MIP), técnica que adota na lavoura da propriedade da família. Nalon frequentou tanto as capacitações ofertadas por intermédio do Sindicato Rural de Bituruna, quanto os realizados nos Centros de Treinamento Agropecuários (CTAs) do SENAR-PR, em Ibiporã e Assis Chateaubriand.

“Eu era fã do SENAR-PR antes de me tornar instrutor. Desde os 17 anos, eu já faço cursos de tudo o que você possa imaginar. De inseminação artificial, eletricidade, colhedeira, pulverizador, de pinus…”, enumera. “E a didática aplicada quando eu dou curso também uso para fazer os vídeos. Eu procuro relatar a realidade da propriedade, de forma prática”, diz.

Por enquanto, o plano do influencer é continuar produzindo um vídeo semanal. A intenção de Nalon é ser reconhecido como um canal que oferece conteúdo consistente ao seu público. Para o futuro, no entanto, ele já pensa em novidades. “Eu gosto muito de viajar. Daqui uns dois anos, por exemplo, quando eu estiver na estrada, posso gravar vídeos em outros lugares. Se eu for para a Argentina, mostro como é a criação de gado lá. Se eu for para os Estados Unidos, visito uma fazenda de milho. E assim por diante. O importante é manter a qualidade”, diz.

Fonte: CNA Brasil

Mais Notícias em Agronegócio

Curta O Rolo Notícias nas redes sociais:
Área de comentários
Compartilhe!
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on linkedin

canal no youtube

Mais recentes