Curso de inseminação capacita trabalhadores em Pedro Afonso

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram

Curso de inseminação capacita trabalhadores em Pedro Afonso


O Senar Tocantins deu sequência à capacitação de trabalhadores e produtores rurais para facilitar a adoção de técnicas adequadas para a realização de inseminação artificial nas propriedades rurais da região central do Tocantins. Desta vez, o treinamento ocorreu na fazenda Boa Esperança, no município de Pedro Afonso.

O curso “Trabalhador na Bovinocultura – Inseminação Artificial” abordou temas como melhoramento genético, sanidade do rebanho, mineralização do rebanho e anatomia do sistema reprodutor feminino. E além da teoria, os alunos tiveram atividades práticas, com os animais da fazenda, onde realizaram o manejo de botijão de sêmen e montagem do aplicador. Eles também fizeram o reconhecimento de estruturas anatômicas das vacas nas peças adquiridas do matadouro municipal.

A inseminação artificial em bovinos é uma técnica de reprodução em que o sêmen de um touro é depositado no aparelho reprodutivo da vaca com a utilização de equipamentos específicos. A aplicação feita por um profissional da área tem o objetivo de fecundar uma fêmea sem o contato físico do macho. Por conta de programas de incentivo à inseminação e treinamento de mão de obra, o sistema FAET/Senar está estimulando o melhoramento genético do rebanho bovino do Tocantins.

O agrônomo Thalles Moreira Matos, aluno da turma, ficou sabendo do curso por indicação de um amigo que já participou de outras turmas. Hoje estagiário de uma empresa do ramo agropecuário, o aluno tem pretensões de retornar à atividade no campo como inseminador. “Antes da capacitação do SENAR eu pensava que inseminação era algo muito simples, mas agora perceber que vai muito além disso; existe cuidado e técnicas corretas de manejo pra garantir a sanidade do animal”, destacou.

Gabriel Inácio Costa da Silva também é agrônomo e trabalha com o pai na fazenda da família. Com cerca de 60 cabeças na propriedade, ele agora quer se valer da inseminação artificial para aumentar o rebanho com qualidade. “As técnicas que aprendi me animaram. Acho que podemos colocar em prática na nossa fazenda e chegar nos resultados que a gente deseja”, afirmou.

Fonte: CNA Brasil

Mais Notícias em Agronegócio

Curta O Rolo Notícias nas redes sociais:
Compartilhe!
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on linkedin
Área de comentários

canal no youtube

Mais recentes