Equipe gestora de MT defende última vacinação contra febre aftosa para novembro de 2022

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram

Equipe gestora de MT defende última vacinação contra febre aftosa para novembro de 2022


O setor produtivo rural, representado pela Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), acompanha a decisão de toda a equipe gestora do Plano Estratégico do Programa Nacional de Vigilância para a Febre Aftosa (PNEFA) de Mato Grosso e defende a retirada da vacina contra a febre aftosa a partir de 2023. Esta posição foi manifestada na sexta-feira (15/10) durante reunião virtual com representantes do PNEFA e membros dos blocos.

Além do setor produtivo rural, a decisão tem o apoio do Governo do Estado de Mato Grosso, Instituto de Defesa Agropecuária (Indea-MT), técnicos, agentes de sanidade animal e demais membros da Equipe Gestora do Plano Estratégico Estadual do Programa Estadual de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa 2017-2026.

Conforme ressaltou o produtor rural e 1º suplente de diretoria da Famato, Antônio Carlos Carvalho de Sousa, Mato Grosso está trabalhando firmemente para o cumprimento de todas as ações e metas recomendadas pelo Mapa no âmbito do PNEFA com o objetivo de retirar a vacinação, principalmente porque está há 25 anos sem registro de focos.

Para Antônio Carlos, o maior entrave, contudo, é que alguns estados que integram o Bloco IV não conseguiram avançar no cumprimento das medidas, e isso dificulta o avanço isolado de uma unidade federativa do mesmo bloco.

Durante a reunião foi cogitada a possibilidade de Mato Grosso antecipar a medida e apresentar ao Mapa um pedido isolado de “bloco independente”, tendo em vista que o estado está cumprindo as ações previstas no PNEFA e está preparado para gerir riscos sanitários.

“Mato Grosso está pronto. Queremos saber o prazo para apresentar o nosso pleito para fazer a última vacinação em novembro de 2022. Temos 15% do rebanho nacional e nossos produtores têm feito o dever de casa, mas sabemos que alguns estados do bloco não têm a mesma prioridade. Portanto, estamos decididos, governo do estado e iniciativa privada, a fazer a última vacina em novembro de 2022. Embora atravessamos um período de pandemia, lá na propriedade rural o produtor não parou, continuamos trabalhando diuturnamente”, argumentou Antônio Carlos.

De acordo com a presidente do Indea-MT, Emanuele Gonçalina de Almeida, o estado está investindo em instalação de barreiras sanitárias nas divisas entre estados, barreiras volantes nas fronteiras, veículos, ampliando a vigilância sanitária, na contratação de mais servidores, médicos veterinários e está mantendo o controle rígido do trânsito de animais no estado e de áreas livres com vacinação para áreas livres sem vacinação, conforme prevê o programa.

“Estamos realizando a nossa parte, no afinco do cumprimento de metas, e o que não podemos é simplesmente ficar na dependência de um ou outro estado que não esteja dando prioridade. Até quando nossos produtores ficarão à mercê de outros estados que não tenham o mesmo comprometimento? Em Mato Grosso, temos o apoio da classe produtora, do governo do estado, e estamos reestruturando de forma efetiva o Indea. Estamos presentes em todos os municípios e munidos de recursos. Recentemente tivemos um aporte de R$ 20 milhões para aquisição de caminhonetes, que já está em processo licitatório”, ressaltou Emanuele.

A presidente reforçou ainda que Mato Grosso está certo de que vai fazer a última vacinação em novembro de 2022. “Qual o passo temos que tomar e qual a data para que nós possamos retirar, se não em conjunto, pleitear esse pedido de forma isolada?”, questionou a presidente do Indea-MT, Emanuele Almeida.

Fonte: CNA Brasil

Mais Notícias em Agronegócio

Curta O Rolo Notícias nas redes sociais:
Área de comentários
Compartilhe!
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on linkedin

canal no youtube

Mais recentes