Fazendeiro triplica produção de leite após primeiros passos da assistência técnica do SENAR

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram

Fazendeiro triplica produção de leite após primeiros passos da assistência técnica do SENAR


O produtor rural Raimundo Nonato Feitosa, do município de Augustinópolis, encontrou na Assistência Técnica e Gerencial (ATEG) do SENAR/TO a oportunidade e o apoio necessários para o aperfeiçoamento e crescimento de produção leiteira na fazenda Terra Nova. Hoje o produtor colhe frutos do progresso na atividade. Com investimento baixo e pequenas mudanças no manejo dos animais, ele conseguiu quase triplicar a produção de leite com um rebanho ainda menor do que ele tinha.

Apesar da experiência na atividade leiteira, o produtor não tinha a produção de leite como fonte de renda para a propriedade. O que era produzido e arrecadado era usado para cobrir despesas gerais da fazenda, mas sem muito compromisso. Mas o retorno inicial obtido com a adoção de novas técnicas, fez Raimundo Nonato passar a enxergar a bovinocultura de leite com outro olhar. Para ele, a Assistência Técnica veio para alavancar a produção em um momento que ele precisava. “Estou muito contente com o trabalho realizado pelo SENAR, sem dúvida alguma as orientações fizeram toda diferença que eu precisava para aumentar a minha produção e incrementar a nossa renda” comemorou.

A diferença apareceu depois que, por orientação técnica, ele passou a controlar melhor o volume da suplementação alimentar, fazendo a pesagem da quantidade de ração e o controle do volumoso fornecido para as vacas em lactação. Segundo o técnico de campo do Senar, José Remir Chaves Dutra, que atende a propriedade, ao iniciar as visitas à fazenda, ele percebeu que o produtor não tinha controle dos custos de produção do leite e do manejo alimentar dos animais. Alinhando essas duas frentes, o resultado começou a aparecer.

Em poucos meses o rebanho selecionado pelo produtor rural e a adoção das técnicas fez a produção diária de leite saltar de 120 litros de leite para mais de 300 litros. “O aumento na qualidade e quantidade de leite na propriedade e, consequentemente, a rentabilidade do produtor foi muito positiva. Quando começamos a atender, era uma propriedade que tinha muito por fazer. Mas fazendo a divisão e recuperação das pastagens, análise do solo, calagem, adubação, implantação de capineira pra época da seca e anotando todos os gastos, os resultados foram surgindo”, destacou o técnico. Para ele, a persistência, pode levar o produtor rural a vantagens ainda mais expressivas num curto espaço de tempo.

Fonte: CNA Brasil

Mais Notícias em Agronegócio

Curta O Rolo Notícias nas redes sociais:
Área de comentários
Compartilhe!
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on linkedin

canal no youtube

Mais recentes