Grupo de mulheres assistidas pelo Senar Alagoas participam de programa de TV mostrando sua produção no povoado Sapé

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram

Grupo de mulheres assistidas pelo Senar Alagoas participam de programa de TV mostrando sua produção no povoado Sapé


ALAGOAS (19/11/2021) As mulheres pertencentes à Associação de Mulheres Agricultoras Quilombolas Pescadoras do Povoado Sapé — Mulheres Guerreiras (MG), participaram das gravações do programa É de Casa, da rede Globo, em uma edição especial, para tratar sobre a produção de mercadorias derivadas da mandioca, no Povoado Tabuleiro dos Negros — entre os municípios de Penedo e Igreja Nova. O programa irá ao ar no próximo dia 20 de novembro, às 07 horas.

O grupo formado por 48 mulheres realizou o curso de Associativismo ofertado pelo Senar Alagoas, ministrada pela técnica de campo Rita Gouvea.

A coordenadora da Associação, Maria Quitéria, fala da importância do cumprimento do curso: “O associativismo é fundamental na forma como nós precisávamos nos organizar e fortalecer nossas metas. União e participação é o passo principal para solidificar o grupo”, salienta.

“Grata a Deus em primeiro lugar, sempre, e com uma grande esperança de que outras mulheres lá na roça se vejam capazes de realizar seus sonhos dentro de suas realidades culturais”, comenta Maria Quitéria, sobre a satisfação de ver o trabalho da associação sendo reconhecido nacionalmente.

O grupo trabalha com diversos produtos como bolos de macaxeira, de milho, massa puba, como também com pé de moleque, arroz, cocada preta, sequilho de tapioca, castanha de caju, farinha de castanha, beiju de coco, tapioca de coco, macasada, arroz-doce e mungunzá.

“Nosso sequilho é derivado da mandioca, sendo ela a principal matéria-prima dos produtos dos nossos quilombos. Utilizamos a receita tradicional desde a fundação dos Quilombos Sapé e Quilombo Tabuleiro dos Negros”, relata a coordenadora.

O sequilho é parte da cultura da região, o legado dessa produção é uma homenagem ao Zé do Biu, considerado o maior artesão regional de sequilho da história do Quilombo Tabuleiro dos Negros.

De 48 mulheres, 15 são responsáveis por comercializar esses produtos na Feira da Agricultura Familiar do município de Igreja Nova — AL, e o restante dos trabalhos são divididos conforme o que cada artesã desenvolve tanto na culinária como no artesanato.

O trabalho realizado pela Associação auxilia no fortalecimento das tradições e culturas, contribuindo também para o desenvolvimento econômico das integrantes e consequentemente de suas famílias.

Assessoria de comunicação – Manuella Rithyane

Fonte: CNA Brasil

Mais Notícias em Agronegócio

Curta O Rolo Notícias nas redes sociais:
Área de comentários
Compartilhe!
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on linkedin

canal no youtube

Mais recentes