Preço médio da arroba do boi em Mato Grosso do Sul valorizou cerca de 40% em 2021

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram

Preço médio da arroba do boi em Mato Grosso do Sul valorizou cerca de 40% em 2021


Levantamento foi realizado pelo Departamento Técnico do Sistema Famasul que apontou a média de R$ 292,67

Em Mato Grosso do Sul a arroba do boi cresceu 39,41% e a da vaca 42,43% em 2021. De acordo com o Departamento Técnico do Sistema Famasul a cotação do boi saiu de R$ 209,94 em 2020 para R$ 292,67 para o ano seguinte. Respectivamente a cotação da vaca partiu de R$ 195,79 para R$ 278,87.

Segundo a analista técnica, Eliamar Oliveira, a valorização da arroba tem relação direta com a redução no número de animais abatidos e com a maior receita nas exportações. “Esse fator contribuiu para aumentar a liquidez das indústrias exportadoras e compensou a instabilidade no consumo interno”.

De acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a redução de abate foi de 11,87%. “A queda ocorreu em função da retenção de fêmeas, já que o abate dessa categoria registrou queda de 18,94% de 2020 para 2021 e do aumento no custo de produção. Em um ano, o custo de produzir uma arroba cresceu aproximadamente 47%”, detalha, Eliamar.

Exportações – Conforme os dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), a receita com a comercialização da carne bovina para o mercado externo cresceu 16,3% no último ano, enquanto o volume reduziu cerca de 2,4% no mesmo período.

A China continua sendo o principal destino da proteína sul-mato-grossense, com 20,3% de participação na receita, seguido pelo Chile com 18,45% e Estados Unidos com 15,43%.

“Mesmo sem embarques nos últimos três meses do ano, o faturamento de Mato Grosso do Sul com as vendas de carne bovina para a China aumentou 32% de 2020 para 2021. Mas, o crescimento nos embarques para o Chile e para os Estados Unidos sem dúvida cumpriu papel importante para garantir o bom resultado do ano”, explica a analista técnica.

Em 2021, os Estados Unidos adquiriram 218,98% a mais da mercadoria. “Para 2022 o cenário é promissor porque a China anunciou a retomada das compras, a Rússia reabriu o mercado e cotas adicionais foram definidas para outros países”, finaliza.

Fonte: CNA Brasil

Mais Notícias em Agronegócio

Curta O Rolo Notícias nas redes sociais:
Área de comentários
Compartilhe!
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on linkedin

canal no youtube

Mais recentes