Em Bauru, comerciante que matou ladrão após furto, se entrega à polícia

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Em Bauru, comerciante que matou ladrão após furto, se entrega à polícia
Em Bauru, comerciante que matou ladrão após furto, se entrega à polícia

Em Bauru, comerciante que matou ladrão após furto, se entrega à polícia

Homem acusado de ter matado ladrão após furto, se entregou nesta segunda-feira, 30, à Polícia Civil de Bauru. Ele estava acompanhado de advogado e é o principal suspeito de ter matado um jovem de 20 anos, identificado por João Victor.

O assassinato aconteceu após o jovem furtar caixas de sorvete de seu estabelecimento. Ele fugiu, mas foi localizado pelo comerciante de 46 anos, que tem seu comércio na Vila Universitária, em Bauru.

O crime aconteceu na madrugada do dia 25 de março, quando após o furto, o suspeito foi localizado pelo comerciante. Segundo informações do Boletim de Ocorrência (BO) o rapaz foi baleado com dois tiros.

O corpo de João Victor foi localizado próximo ao viaduto da Avenida Duque de Caxias com a Avenida Nações Unidas. Segundo informações, o autor dos disparos estava em uma caminhonete e fugiu do local, porém, foi identificado na mesma noite pela equipe de Homicídios da DIG – Delegacia de Investigações Gerais.

O delegado Cledson Nascimento disse que o comerciante se apresentou acompanhado de advogado, confessou o crime e entregou a arma usada no crime, um revólver Taurus, calibre 38, sem registro.

O comerciante disse ao delegado que disparou quatro vezes, dois para o alto e dois no rapaz. Segundo ainda o comerciante, ele teria entrado em luta corporal com a vítima.

Após o interrogatório, e ser indiciado pelo Artigo 121, o comerciante foi encaminhado à Cadeia Pública de Avaí. “A DIG aguarda a chegada dos laudos periciais para concluir as investigações”, finaliza o delegado Cledson.

Art. 121. Matar alguém: Pena – reclusão, de seis a vinte anos. § 1º Se o agente comete o crime impelido por motivo de relevante valor social ou moral, ou sob o do mínio de violenta emoção, logo em seguida a injusta provocação da vítima, ou juiz pode reduzir a pena de um sexto a um terço.

Veja mais Notícias da região O Rolo Bauru

Curta O Rolo Notícias nas redes sociais:
Área de comentários
Compartilhe!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Mais recentes