Após naja, funcionária do Ibama é afastada por licença ilegal a amigos

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Ivan Mattos/Zoológico de Brasília

Após naja, funcionária do Ibama é afastada por licença ilegal a amigos


.

Uma funcionária do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) foi afastada de suas funções em decorrência do caso do estudante de medicina veterinária que foi picado por uma cobra naja, em Brasília, no dia 7 de julho. 

A decisão foi tomada nesta quarta-feira (22), tendo em vista os fortes indícios de seu envolvimento com a organização de tráfico internacional de animais silvestres. E, além do afastamento, a funcionária está sendo no processada no valor de R$ 10 mil em uma ação de improbidade administrativa. 

A investigada está proibida de acessar as dependência físicas ou sistemas do IBAMA diretamente relacionados à prática ilícita, inclusive por pessoa interposta.

As autoridades chegaram até a suspeita após encontrarem uma licença de captura/coleta/transporte expedida pela servidora na casa de um dos investigados no esquema criminoso.

De acordo com a polícia, também há indícios de que a funcionária teria expedido mais licenças, em outras circunstâncias, para pessoas próximas. Incluindo duas licenças de transporte para dois papagaios de uma amiga de seu namorado, e uma para sua manicure, referente a um mico-estrela. 

Investigação

Após o incidente com o estudante, Pedro Henrique Krambeck, iniciou-se um procedimento investigativo na coordenação de operações de fiscalização do IBAMA. Agentes ambientais federais e policiais se depararam com caixas de contenção de animais provenientes do Centro de Triagem de Animais Silvestres, contendo cobras em cativeiro ilegal.

O caso resultou no resgate de 32 serpentes e aplicação de mais de R$ 300 mil em multas. Além das cobras, outros animais também foram localizados, como tubarões e lagartos.

Em balanço divulgado pelo Ibama, o dono de um haras, em Planaltina (DF), onde 16 cobras foram encontradas, será multado em R$ 68 milComo o fato mostrou ligação com o estudante picado pela naja, este também responderá pelas 16 cobras. Ao todo, segundo o Ibama, o jovem de 22 anos será multado em mais de R$ 61 mil.

A mãe e o padrasto do estudante também serão multados, em R$ 8,5 mil cada, por terem dificultado a ação de resgate.

Um estudante de medicina veterinária, que é amigo do estudante e teria ajudado o estudante a esconder serpentes, foi preso, nesta quarta (22). 

Pedro recebeu alta na segunda-feira (13), após ficar internado em estado grave.

Ivan Mattos/Zoológico de Brasília
Fonte: R7

Mais Notícias de BRASIL

Curta O Rolo Notícias nas redes sociais:
Área de comentários
Compartilhe!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Mais recentes