Governo Federal bate recorde de leilões de bens apreendidos em operações policiais

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram

Governo Federal bate recorde de leilões de bens apreendidos em operações policiais


O Ministério da Justiça e Segurança Pública alcançou número recorde de leilões de bens apreendidos em operações policiais de janeiro a outubro deste ano, em comparação com o total realizado em 2020.

Foram 184 leilões realizados pela Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas e Gestão de Ativos (Senad) resultando em uma arrecadação de cerca de R$ 105 milhões aos cofres públicos. A expectativa é de que sejam realizados mais de 200 leilões apenas em 2021.

Somente neste ano, já foram arrematados 3.567 itens, sendo mais de 2 mil veículos, 16 aeronaves, 18 embarcações e 25 imóveis (mansões e fazendas).

Até 2018, eram realizados, em média, seis leilões ao ano promovidos pela Senad. Já em 2019, esse número subiu para 11 leilões com arrecadação de R$ 4 milhões e em 2020 foram 122 leilões realizados com arrecadação de R$ 39,9 milhões.

“Esse montante vem sendo utilizado para financiar políticas públicas que são prioridades do Ministério da Justiça e Segurança Pública, como o combate ao tráfico de drogas, modernização e fortalecimento das polícias, onde já foram investidos mais de R$ 150 milhões”, explica o ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres.

O número expressivo de leilões veio a partir do redesenho da Senad, na atual gestão do Governo Federal, que passou a contar com o apoio de leiloeiros cadastrados e comissões compostas por funcionários públicos nas unidades federativas, que ajudaram a agilizar as ações.

Os recursos obtidos por meio da venda desses ativos são recolhidos aos cofres públicos, como explica o secretário Nacional de Políticas Sobre Drogas e Gestão de Ativos, Luiz Beggiora.

“A Senad promove uma inovação, ao propor o conceito de círculo virtuoso da política de redução da oferta de drogas: os recursos obtidos são disponibilizados, em sua maioria, para projetos de modernização, de capacitação, de pesquisa e de avaliação voltados para aperfeiçoar as atividades dos órgãos de segurança pública responsáveis pelo combate ao narcotráfico.”

Esses investimentos vão desde a aquisição de viaturas, drones, equipamentos de inteligência, de comunicação e de perícia, além de uniformes e de computadores de alta performance para a Polícia Federal, financiamento de grandes operações policiais, a exemplo da operação Narco Brasil. Quando é oriundo de crimes relacionados ao tráfico de entorpecentes, abastece o Fundo Nacional Antidrogas (Funad), que financia projetos que reforçam a segurança pública e o combate às drogas no país.

Com informações do Ministério da Justiça e Segurança Pública

Fonte: Brasil.gov

Mais Notícias de BRASIL

Curta O Rolo Notícias nas redes sociais:
  • Facebbok
  • Twiter
  • Youtube
Área de comentários
Compartilhe!
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on linkedin

canal no youtube

Mais recentes