Instituições para idosos podem se inscrever em edital de R$ 150 mil

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram

Instituições para idosos podem se inscrever em edital de R$ 150 mil


A estruturação das Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs) é o tema do Edital de Chamada Pública nº 2/2021, publicado pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH). Com inscrições prorrogadas até o dia 7 de novembro, o processo seletivo oferece R$ 150 mil para a aquisição de itens de infraestrutura e equipamentos hospitalares, além de possibilitar a contratação de profissionais multidisciplinares.

Acesse o edital

O secretário nacional de promoção e defesa dos direitos da pessoa idosa do MMFDH, Antonio Costa, explica que podem se inscrever ILPIs públicas ou privadas, de caráter assistencial, sem finalidade lucrativa. “Esse é edital é mais uma fonte de financiamento com recursos próprias da nossa secretaria. O nosso objetivo é levar a essas entidades um pouco mais de recursos para tentar melhorar a situação financeira”, afirma o gestor.

Do valor total, R$ 50 mil são de custeio e R$ 100 mil de investimento. Com os recursos, poderão ser adquiridos itens de cozinha, almoxarifado, lavanderia, hotelaria, convivência, lazer e dormitório. Também constam equipamentos hospitalares para os cuidados diários da pessoa idosa, como cama hospitalar, cadeira de rodas e de banho, colchão hospitalar, andador ou muleta, aspirador de secreção e suporte para soro.

O edital é uma realização do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa (CNDI), em parceria com a Secretaria Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa (SNDPI), ambos vinculados à estrutura do MMFDH.

Requisitos

Para participar do processo seletivo, as organizações da sociedade civil (OSC) devem cumprir algumas exigências. Entre elas, ter cadastro prévio na Plataforma +Brasil; apresentar a proposta de trabalho; dispor de Conselho dos Direitos da Pessoa Idosa ativo em sua localidade; ter seus programas e ações inscritos no órgão da Vigilância Sanitária e no respectivo Conselho Municipal da Pessoa Idosa, e em sua falta, junto ao Conselho Estadual ou Nacional da Pessoa Idosa, que deverão ser devidamente comprovados.

Com informações do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos

Fonte: Brasil.gov

Mais Notícias de BRASIL

Curta O Rolo Notícias nas redes sociais:
  • Facebbok
  • Twiter
  • Youtube
Compartilhe!
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on linkedin
Área de comentários

canal no youtube

Mais recentes