Juros do cartão em novembro têm maior alta em seis meses

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Oswaldo Corneti/Fotos Públicas

Juros do cartão em novembro têm maior alta em seis meses


A taxa de juros do cartão de crédito voltou teve sua maior alta desde maio, no pico da pandemia, chegando a 193,2% ao ano em novembro. Já o cheque especial voltou acelerou pelo segundo mês consecutivo e custava 113,6% ao ano no mês passado.

Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (23) pelo Banco Central. Esses percentuais são as médias de juros cobrados pelos bancos dos clientes que tomam dinheiro emprestado nas duas modalidades, as mais caras do mercado.

Cartão de crédito

No mês de setembro, os juros do cartão de crédito custavam 161,8% ao ano para os consumidores. Em outubro, tomar dinheiro emprestado no cartão custava 181% ao ano.

Com o percentual mais recente, de 193,2% ao ano em novembro, uma dívida de R$ 1.000 adquirida agora, passará a custar R$ 2.932 em novembro de 2021 se as condições se mantiverem. Ou seja, quase três vezes mais cara do que o débito inicial.

O cheque especial, que apresentou queda em outubro após altas seguidas em agosto e setembro, subiu em novembro, chegando a 113,6% ao ano no mês.
Nos meses de agosto, setembro e outubro as taxas de juros na modalidade foram de, respectivamente, 112,2%, 114% e 112,9% ao ano.

No mesmo exemplo do cartão de crédito, uma dívida adquirida em novembro de 2020, no valor de R$ 1.000, chegará a custar R$ 2.136 em um ano, caso as condições se mantenham. O valor é mais de duas vezes maior do que o original.

Crédito consignado

O crédito consignado, uma alternativa às linhas de crédito mais caras do mercado, teve suas taxas diminuídas aos valores de 18,9%, 32,4% e 22,8% para servidores públicos, trabalhadores do setor privado e beneficiários do INSS, respectivamente.
Em outubro, os índices estavam em 19,2%, 32,7% e 22,9%.

Para um trabalhador do setor privado, por exemplo, a mesma dívida hipotética de R$ 1.000 tomada em novembro deste ano custará R$ 1.324, no crédito consignado, daqui um ano.

O crédito consignado é uma das modalidades mais baratas disponíveis no mercado financeiro. Quando o consumidor contrata este tipo de empréstimo, o dinheiro é diretamente descontado da folha de pagamento do salário ou da aposentadoria.

Oswaldo Corneti/Fotos Públicas
Fonte: R7

Mais Notícias de BRASIL

Curta O Rolo Notícias nas redes sociais:
  • Facebbok
  • Twiter
  • Youtube
Área de comentários
Compartilhe!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

canal no youtube

Mais recentes