Em vez de presentes de casamento, noivos pedem doação de sangue durante pandemia

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Em vez de presentes de casamento, noivos pedem doação de sangue durante pandemia


source
Casal Gil e Jacqueline
Reprodução/Arquivo pessoal

Casal pediu doações de sangue em vez de presentes

Apesar de pouco convencional, a sugestão de presentes para o casamento dos noivos Jacqueline Batista e Gil Mendes tem muito a ver com amor: impedidos de celebrar a união com festa e muitos convidados durante a  pandemia da Covid-19, os dois decidiram pedir que amigos e familiares fizessem uma doação de sangue, destacando o momento de enorme fragilidade do sistema de saúde e, consequentemente, uma maior necessidade de gestos solidários.

“A ideia surgiu de uma necessidade de ‘multiplicar, dividir e somar’ para celebrar nossa união”, explica Jacqueline, que é cientista social e vive em Belo Horizonte. Ela conta que, embora tenha sida responsável pela sugestão, a ideia recebeu grande apoio do noivo. “A doação de sangue nada mais é que um gesto de amor. E como não podemos concretizar a troca de amor em formato de festa e celebrações devido à Covid, estamos propondo a forma de doação de sangue”, defende. 

O convite, então, foi enviado aos amigos e familiares mais próximos, que devem realizar uma doação no dia primeiro de agosto, no hemocentro de Belo Horizonte. Os noivos, porém, destacam que o “presente” deve ser evitado por pessoas que pertençam ao grupo de risco para Covid-19 ou não preencham todos os critérios para doação.

“Não é a quantidade que importa, mas a conscientização do quão importante e necessário é a doação de sangue, que não deve esperar um familiar ou amigo ser hospitalizado para acontecer. Doar é amor e isso sim tem tudo a ver com casamento”, destaca a noiva. 

Além da pandemia, o casamento entre Jacqueline e Gil também precisou vencer o desafio da distância. Ela, que é mineira, pretende morar com o noivo, que vive em Portugal. A comemoração, então, ocorrerá sem a união física do casal. “Meu maior presente seria a presença dele, mas temos uma pandemia e um oceano de distância”, conta. 

“Nos conhecemos em 2019, quando fiz um intercâmbio em Portugal. Começamos a namorar, mas achei que o relacionamento só ia durar até o fim do semestre e do intercâmbio, né?” brica a noiva, antes de contar que, menos de seis meses depois, Gil foi ao Brasil oficializar o pedido de casamento

Fonte: IG Mulher

Mais Notícias em Mulher

Curta O Rolo Notícias nas redes sociais:
Área de comentários
Compartilhe!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Mais recentes