Vida no isolamento social: você é a mãe, mas também sente medo; e tudo bem

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

source

Cansaço, tédio, irritação, medo, ansiedade. É tanto sentimento junto e misturado que fica faltando pouco para enlouquecermos em tempos de isolamento social . E desta vez não estamos falando do seu filho, mas de você, mamãe. Vamos combinar, ficar trancado dentro de casa, durante esse período de confinamento, não é fácil pra ninguém. Mas, atenção, não é porque você tem filhos que precisa passar a imagem de mãe durona e esconder os sentimentos embaixo do tapete. Até porque isso não vai ajudar em nada a lidar com os dele também.

sarah e o filho
Arquivo pessoal

Mãe também sente medo, ansiedade, angústia e todos os efeitos do isolamento. Tudo bem!

Com esse isolamento social , por conta da Covid-19 , estamos começando a experimentar uma “forçada” divisão de espaços limitados com a família em casa . Mas, diferentemente de outros problemas que conseguimos esconder dos filhos e disfarçar, para não gerar medo neles, a pandemia causa medo em nós mesmo, pelo ineditismo, pelo inesperado. E esse sentimento não conseguimos colocar embaixo de tapete nenhum.

O consultor pedagógico do LIV – Laboratório Inteligência de Vida – Raul Spitz, alerta para a relevância de expor esses sentimentos . “Ludibriar as emoções ou querer fingir que está tudo bem vão por água a baixo. Tudo agora está estampado em nossas expressões, em nossos corpos. Por mais que queiramos não verbalizar aos nossos parceiros o que estamos sentindo, nossa comunicação não-verbal está transmitindo automaticamente. Quando essa pandemia vai acabar? Quando vão criar um remédio? Será que estou me protegendo bem? São algumas perguntas que estamos nos fazendo a todo o momento”, diz.

Gestão de momentos de crise. É isso que devemos assumir agora. Entender o que estamos sentindo e colocar isso para fora.  Não é fácil entender a cabecinha da criança e saber tudo o que ela está sentindo, porque está agindo dessa ou daquela forma. Mas isso é necessário e, segundo Spitz, a melhor forma de podermos acessar tais questões se faz através de nós mesmos.

“Cuide de si em primeiro lugar. Como estou me sentido? Será que estou conseguindo deixar que todos esses sentimentos que posso estar sentindo estejam sendo transmitidos aos meus companheiros de casa? Sim, mãe . Sim, pai . Vocês estão de saco cheio. Com medo. Ansiosos para voltar a uma vida de circulação. No momento que os adultos podem ser sinceros consigo mesmos eles tendem a autorizar seus filhos a também serem com eles também”, completa.

 E tudo bem em aceitar ajuda, ouviu? Converse, fale, ouça músicas, veja filmes e envolva seus filhos em sua realidade. Mas deixe que eles possam ajudá-la também. Dê voz a eles, deixe que crie novas rotinas na casa.

 Conversar com o marido, a esposa, os filhos. Passar uma lição de que os sentimentos precisam ser entendidos. Isso certamente ajudará seus filhos a entender os deles também. E entender os sentimentos é o primeiro passo para achar a melhor forma de resolver problemas. Então, tudo bem sentir medo, ainda mais durante o isolamento social , mamãe. Vamos falar sobre isso?

Fonte: IG Mulher

Mais Notícias em Mulher

Curta O Rolo Notícias nas redes sociais:
Área para comentários
Compartilhe!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Mais recentes