Dicas de como cuidar de um gato filhote

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram

Dicas de como cuidar de um gato filhote


source

Muitas vezes alguém que só cuidou de gato crescido resolve adotar um filhote e pensa que os cuidados são os mesmos. Não é bem por aí. Para evitar que seu novo felino sofra (e você também), preparamos algumas dicas valiosas para nortear essa nova relação.

O gato filhote precisa de cuidados especiais com a alimentação
Shuttersock

O gato filhote precisa de cuidados especiais com a alimentação

Antes de qualquer coisa é preciso ter em mente que o ideal é deixar o gatinho com a mãe até 60 dias depois do nascimento. Além disso, a mãe é responsável por estimular, por meio da lambedura, alguns hábitos em suas crias. Dois deles são o ato de defecar e de urinar. A gatinha, ao lamber as bundinhas dos filhotes, estimula que eles façam cocô e xixi. Ela é responsável por isso ao longo dos primeiros vinte dias de vida da ninhada.

O segundo ponto que requer atenção é o ambiente. Antes que ele conheça o novo lar que o espera, alguns acessórios são importantes. É importante recepcioná-lo com uma caixa de areia bem espaçosa, uma caminha quentinha e potes de ração e água. A ração mais adequada, é claro, é aquela produzida especificamente para filhotes. Um arranhador é outro acessório indispensável. Seus estofados e objetos de madeira agradecem.

Tão logo adote o gatinho, é imporante vacinar. Existem três tipos de vacinas polivalentes. A V3 (tríplice) protege os felinos da panleucopenia, rinotraqueíte e da calicivirose. A quádrupla (V4) inclui a proteção contra a clamidiose e a V5 (quíntupla) oferece imunização contra a leucemia viral felina (FeLV). Além dessas, tem a imunização contra o vírus da raiva (antirrábica).

Xô solidão

É muito importante integrar seu gatinho à rotina da casa, bem como brincar e correr com ele. Exercícios físicos desde a infância ajudam a prover equilíbrio emocional ao bichano. Quando estressados, os gatos ficam agressivos, arredios e chegam ao ponto de não comer direito ou não usar a caixinha. O tédio de um felino pode movimentar toda uma casa. Se entediados, eles terão picos de atividade em horários pouco agradáveis aos seres humanos.

Fonte: IG PET

Mais Notícias sobre Pet

Curta O Rolo Notícias nas redes sociais:
  • Facebbok
  • Twiter
  • Youtube
Área de comentários
Compartilhe!
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on linkedin

canal no youtube

Mais recentes