Donos clonam cachorros após morte para não perderem seguidores

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram

Donos clonam cachorros após morte para não perderem seguidores


source
Os cachorros foram clonados por fertilização in vitro
Reprodução/Instagram

Os cachorros foram clonados por fertilização in vitro

Nem a morte pode impedir a perpetuação da fama e dos likes. É o que prova o que donos de animais estão fazendo para que as suas populares páginas no Instagram não morram quando os bichos partirem.

A solução, simplesmente, é cloná-los, para eternizar a fama alcançada na rede social dos “petfluencers”.

O processo é realizado por empresas como a ViaGen, baseada no Texas (EUA). Por alguns milhares de dólares é possível fazer a clonagem e garantir a imortalidade dos influenciadores de quatro patas. A companhia utiliza tecnologia semelhante à fertilização in vitro. Células do animal de estimação original são manipuladas para se fazer um embrião, que é então transferido para uma “barriga de aluguel”.

“Alguém poderia clonar seu animal de estimação e substituir o original. O mundo não precisa saber. Eles podem nunca saber”, disse Melain Rodriguez, gerente de atendimento ao cliente da ViaGen.

Mas o segredo não faz parte do negócio. Muitos perfis no Instagram admitem a clonagem dos seus “melhores amigos”, como @ipartywithbrucewayne e @clash_of_the_clones. Porém um deles chama mais atenção. Trata-se de @wander_with_willow, com mais de 140 mil seguidores. Inicialmente, a página foi criada para contar a vida da cadela Willow. Mas o animal acabou morrendo por atropelamento.


Leia Também

A solução encontrada pela tutora do animal, Udvar-Hazy, da Califórnia (EUA), foi apelar para a clonagem. O processo conseguiu produzir três animais idênticos a partir de Willow.

“Recebo muita crítica pesada por causa da clonagem. As pessoas dizem que eu tenho cães zumbis, ou me chamam de garota rica e louca. Foi doloroso para mim no começo”, disse Udvar-Hazy, de acordo com reportagem do “Sun”.

“Eu tinha uma conexão muito especial com Willow. Eu tirava fotos dela diariamente. Ela era minha musa”, acrescentou a americana, que ganha dinheiro com postagens patrocinadas estreladas pelos seus cães.

Para ela, a dor da perda e a necessidade de acompanhar os passos dos pets foram a principal motivação para clonar Willow. Para outros animais influenciadores, a questão pode ser mais financeira.

“Se alguém ganha a vida com seu animal de estimação e, de repente, seu pet se vai, o que ele faz?”, indagou Melain, da ViaGen.

Fonte: IG PET

Mais Notícias sobre Pet

Curta O Rolo Notícias nas redes sociais:
  • Facebbok
  • Twiter
  • Youtube
Área de comentários
Compartilhe!
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on linkedin

canal no youtube

Mais recentes