Inventores buscam ideias novas para contornar problemas cotidianos

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Inventores buscam ideias novas para contornar problemas cotidianos


O Dia do Inventor, comemorado hoje (4), homenageia pessoas que se dedicam a buscar novas soluções para problemas antigos, como também aquelas que, a partir da observação, têm uma ideia que facilita a vida cotidiana. “O que caracteriza o bom inventor é estar atento a tudo que envolve a vida dele e perceber que as coisas em volta podem ser mudadas. A atenção do inventor em determinados detalhes faz a diferença”, diz o presidente da Associação Nacional dos Inventores (ANI), Carlos Mazzei.ebcebc

Ele explica que independentemente de como surge a ideia, todos os inventores têm o direito de receber pelas suas inovações. “Uma dona de casa inventa um utensílio porque sente falta na hora em que está fazendo a comida. Ela sente falta de algo, procura no mercado e vê que aquilo não foi inventado ainda. Ela pode registrar a patente no nome dela e ganhar dinheiro com isso.”, exemplifica.

Mazzei lembra que apesar de muitas novidades surgirem desses inventores de ocasião, existem pessoas que se dedicam a solucionar problemas e dificuldades criando novos instrumentos e aparelhos. “O inventor propriamente dito, que tem uma bancada em casa, um laboratório, passa os fins de semana exercitando a criatividade”, acrescenta.

Registro

Todas essas pessoas podem registrar as suas criações e fazer a exploração comercial delas, ou autorizar, mediante o pagamento de royalties, a exploração dessa inovação por outras pessoas ou empresas. “Uma patente pode te dar uma garantia de 15 a 20 anos para você explorar ou autorizar alguém a explorar”, explica o presidente da ANI.

Porém, o processo não é simples. A ANI oferece assessoria aos inventores para que consigam registrar as patentes de suas inovações no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). “Não é fácil você fazer uma patente. Você precisa ter uma qualificação técnica para redigir um documento de patente. Você precisa proteger de forma bem abrangente a ideia que teve”, comenta Mazzei.

Mercado

Além disso, os inventores enfrentam outro obstáculo para que suas ideias cheguem ao cotidiano da população: a dificuldade em acessar os investidores. “O problema aqui no Brasil é o seguinte: a falta de apoio. Os cantores têm os empresários que ajudam a levar a música deles para o mercado. Os inventores não têm. Os inventores têm essa dificuldade financeira”, afirma o presidente da ANI. Um dos trabalhos da associação é tentar intermediar essas relações entre inventores e empresários.

Entre os produtos com promessa de sucesso, mas que ainda não chegaram ao público está um sistema que acende churrasqueiras a carvão por controle remoto. “Você, as vezes, deixa de fazer um bom churrasco porque é complicado acender o carvão. Tem que ter a temperatura correta para a carne ficar boa”, detalha Mazzei sobre os inconvenientes que a invenção busca superar.

A ANI mantém ainda um museu com centenas de invenções feitas por brasileiros, entre eles um acervo para empresários interessados e também para despertar a curiosidade de jovens e crianças. Entre as inovações brasileiras que hoje são cotidianas em todo o mundo, Mazzei lembra o câmbio automático para automóveis.

Edição: Graça Adjuto

Fonte: EBC Geral

Mais Notícias de POLÍTICA

Curta O Rolo Notícias nas redes sociais:
Área de comentários
Compartilhe!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Mais recentes