Descoberta de água na Lua aproxima plano de colonização

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Descoberta de água na Lua aproxima plano de colonização

Moléculas de água congelada foram descobertas à sombra de uma cratera

Moléculas de água congelada foram descobertas à sombra de uma cratera
Divulgação/Nasa

A Nasa, agência espacial americana, anunciou nesta segunda-feira (26) que o Observatório Estratosférico de Astronomia Infravermelha (SOFIA, na sigla em inglês) detectou moléculas de água congelada na Cratera Clavius, situada no hemisfério sul da Lua.

Para o astrônomo Cássio Barbosa, do Centro Universitário FEI, a descoberta tem uma importância estratégica. Isso porque diversos países, incluindo os Estados Unidos, Canadá, Luxemburgo, África do Sul e China têm planos de colonizar o satélite natural da Terra na próxima década, isto é, instalar bases científicas para exploração de minérios e outros recursos.

“Além do fato de que a água poderá ser consumida pelos astronautas e cumpre importante papel no resfriamento e controle de temperatura, ao decompor a substância, obtém-se hidrogênio e oxigênio. O hidrogênio é uma excelente fonte de energia, então poderá ser utilizado para abastecer as bases da colônia. O oxigênio, por sua vez, é fundamental para a respiração”, afirma.

“Fazia um bom tempo que os cientistas especulavam sobre a existência de água na Lua”, diz o coordenador do Observatório Didático de Astronomia da Unesp Bauru, Rodolfo Langhi. “A descoberta indica que o universo ainda esconde muitos mistérios a serem desvendados, mesmo tão próximos de nós”, completa.

Segundo Langhi, as moléculas foram observadas indiretamente por meio de um método utilizado há muitas décadas chamado espectroscopia. “Utiliza-se um espectroscópio, que separa a luz branca em todas as cores, como ocorre mais ou menos no arco íris. Neste instrumento, aparecem algumas linhas semelhantes a um código de barras. Acontece que cada elemento químico apresenta um conjunto de linhas próprias em posições bem específicas, então é como se cada elemento químico tivesse seu próprio código de barras, ou impressão digital, na natureza”, explica.

Assim, basta o astrônomo fazer a luz passar por este instrumento e ver quais linhas aparecerão nele. Ao comparar cada conjunto de linhas de cada elemento, é possível descobrir quais elementos existem em um determinado astro.

Astrônomos já descobriram água em diversos outros corpos celestes, inclusive em outras luas, como a Encelados e a Europa, satélites de Saturno e Júpiter, respectivamente. Barbosa ressalta, no entanto, que água na sua forma líquida ou até mesmo sólida, como foi o caso da Lua, no entanto, é difícil de encontrar, pois evapora muito rapidamente.

“Trata-se, portanto, de uma grande descoberta que certamente dará uma força a mais para o tão sonhado plano de colonização do nosso satélite natural”, diz.

*Estagiária do R7 sob supervisão de Pablo Marques

Veja 7 curiosidades sobre a descoberta de água na Lua

Tecnologia e Ciência

Fonte: R7

Mais Notícias sobre TECNOLOGIA

Curta O Rolo Notícias nas redes sociais:
Área de comentários
Compartilhe!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Mais recentes