EUA acusam chineses de hackear dados sobre vacina contra covid

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

EUA acusam chineses de hackear dados sobre vacina contra covid

EUA acusam China de hackear empresas

EUA acusam China de hackear empresas

Dado Ruvic/Reuters

O governo dos Estados Unidos apresentou nesta terça-feira (21) acusações contra dois hackers chineses por tentativa de roubo de dados sobre possíveis vacinas para o coronavírus.

Os hackers, identificados como Li Xiaoyu, de 34 anos, e Dong Jiazhi, de 33 anos, ambos residentes na China, foram acusados de 11 crimes em um tribunal do estado de Washington.

Ambos atacaram 13 empresas localizadas nos Estados Unidos e 12 no exterior, todas envolvidas em estudos sobre possíveis vacinas, detalhou em entrevista coletiva um dos procuradores da investigação, William D. Hyslop.

Empresas do mundo todo na mira

O texto da acusação, ao qual a Agência Efe teve acesso, não detalha os nomes das empresas e se limita a fazer descrições genéricas. As empresas atacadas estão localizadas em ao menos 11 países: EUA, Austrália, Bélgica, Alemanha, Japão, Lituânia, Holanda, Coreia do Sul, Espanha, Suécia e Reino Unido.

No caso dos EUA, os hackers chineses atacaram, entre outras, uma empresa localizada em Massachussets, cujo nome não é mencionado, mas que pode ser a Moderna, a primeira a testar a vacina em humanos.

No dia 13 de maio, o FBI e outra agência de inteligência dos EUA informaram que hackers chineses tinham atacado centros de pesquisa americanos para roubar informações sobre vacinas e tratamentos para a Covid-19.

Na semana passada, Reino Unido, EUA e Canadá afirmaram que hackers vinculados à agência russa tentaram roubar informações sobre vacinas, o que foi negado pelo Kremlin.

Internacional

Fonte: R7

Mais Notícias sobre TECNOLOGIA

Curta O Rolo Notícias nas redes sociais:
Área de comentários
Compartilhe!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Mais recentes