Gato é resgatado coberto de graxa ao miar para indicar que estava vivo

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram

Gato é resgatado coberto de graxa ao miar para indicar que estava vivo


source
Francisco se recuperou da intoxicação e de infecção no sangue e aguarda por adoção em Santos
Divulgação/ONG Viva Bicho

Francisco se recuperou da intoxicação e de infecção no sangue e aguarda por adoção em Santos

Um gato foi encontrado em uma rua de Santos, litoral de São Paulo, todo coberto de graxa e lama e totalmente imóvel. No momento em que um homem passou por perto do animal, acreditando que ele estivesse morto, o gato usou o que lhe restava de forças para emitir um miado fraco e mostrar que ainda estava vivo. As informações são do G1.

Neste momento o homem ligou para pedir ajuda a ONG Viva Bichos Santos, que o encaminhou para uma clínica veterinária. Passando por atendimento, a temperatura corporal do gato estava tão baixa que não pôde ser medida pelos termômetros do local e foi preciso um processo de limpeza de três horas para a remoção de toda a sujeira, com toda a limpeza e secagem feitos com temperaturas quentes.

O gato foi diagnosticado com infecção no sangue e intoxicação, devido à graxa, além de estar desidratado, precisando receber soro em temperatura morna, por já estar com o corpo frio. Em entrevista, a presidente da ONG, Marilucy Pereira, contou que o animal estava desorientado e devido a intoxicação e que o resgate foi feito no dia 4 de outubro, por isso o nome escolhido para o gato foi Francisco, em homenagem a São Francisco de Assis.

Já no dia seguinte, após os cuidados e medicamentos, o animal apresentou uma melhora significativa. O que o deixou no estado em que estava, mas Marilucy acredita que Francisco não era um animal de rua e que, por toda a divulgação que fizeram e ninguém tenha procurado pelo animal, ele tenha sido abandonado.

Com dias de tratamento, Francisco teve a infecção e a intoxicação totalmente curadas e agora espera por adoção em Santos. “Eu sempre acho que as coisas não são à toa. Não acho que aquela pessoa passou à toa naquele local e foi conferir se ele estava morto. Não é por acaso que ele deu um miado bem quando o rapaz chegou perto. Às vezes, eles [animais] precisam passar por uma tragédia de quase morte para receberem a oportunidade de terem outro tipo de vida, de serem cuidados de verdade”, declarou.


Fonte: IG PET

Mais Notícias sobre Pet

Curta O Rolo Notícias nas redes sociais:
  • Facebbok
  • Twiter
  • Youtube
Área de comentários
Compartilhe!
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on linkedin

canal no youtube

Mais recentes